10/10/07

A um verdadeiro Amigo

"Não precisa ser homem - basta ser humano, ter sensibilidade e ter coração.
Precisa de saber falar, de saber calar e, sobretudo, de saber ouvir.
Que goste de poesia, do alvorecer, de pássaros, do sol, da lua e do murmúrio das brisas.
Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir a falta de não ter esse grande amor.
Deve guardar segredo sem sacrificar-se. Não é imprescindível que seja em primeira mão, nem mesmo em segunda; pode já ter sido enganado (todos os amigos são enganados).
Tem de ter ressonâncias humanas; seu principal objectivo deve o de ser amigo; deve sentir a tristeza das pessoas e compreender o imenso vazio dos solitários.
Procura-se um amigo que tenha os mesmos gostos e que saiba conversar de coisas simples. Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque se tem um amigo.
Precisa-se de um amigo que, a sorrir, nos bata no ombro e creia em nós.
Precisa-se de um amigo para se ter a certeza que ainda se vive... "
F.E.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial