27/07/05

Um quarto

Quando passo por aquela rua, sei que deixei lá um grande vazio. Promessas, muitas promessas... vários planos, quase todos por realizar, sorrisos e festas em boa companhia... mas isso era dantes, não era? Antes da mudança. Antes das prioridades ficarem distorcidas, ou então, antes da máscara cair e dos verdadeiros sentimentos aflorarem. Tudo bem. A desilusão faz parte da vida, e quando ela entra em nós como uma bola de neve, já não importa quando pára. Levou tudo à frente. Passou por mim como um vento forte e quando dei por ele, já não havia nada para levar. As promessas e planos há muito tinham ido...

Posso arrepender-me, por vezes, de ter um pouco mais de dois dedos de testa. Sonho demais, acredito demais, em mim, na boa fé dos outros. Mas pelo menos, graças a isso, só me deixo levar enquanto quero e não arrasto ninguém comigo.

Naquela rua vazia já nenhum de nós está. O que lá deixámos, lá ficará...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial