01/08/05

Sabes Bem

Sabes bem que estarei sempre contigo,
nas tempestades e nas horas calmas,
que todas as palavras que te digo
saem das profundezas da minha alma.

Sabes bem que em mim tens o ombro amigo
que falta a tanta gente e dá origem
ao mal do mundo, acentuando o perigo
da súbita cedência ante a vertigem.


Mas, como o amor nem sempre é uma troca,
embora saiba tudo o que tu sabes,
não alimento grandes ilusões.

Eu só quero, afinal, da tua boca
os risos e as palavras mais suaves
para todas as minhas estações.

( Torquato da Luz , 2005 )

1 Comentários:

Blogger ZeoX disse...

E o amor, quando não nos dá aquilo que dele esperamos, merece ser chamado assim? Ou simplesmente não podemos dele esperar nada?

2:35 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial