18/08/05

Voltando a casa

Ouvi-te rir e dizer "a vida tem muitos caminhos, se olhares à volta terás sempre por onde escolher... o coração, contudo, raramente nos dá mais do que uma saída". Aí entendi as tuas escolhas... tanto te dá por onde a vida te leve mas sabes bem aquilo que tens seguro, não é? Invejo-te por isso, no sentido de te ver feliz e partilhar da tua alegria. Às vezes gostava de me sentir como tu, sabes. Quando queres voar não te atiras de cabeça no primeiro precipício que encontras, saltando para uma falsa sensação de liberdade onde fazemos o que queremos e nada mais importa senão nós próprios. Tu sabes bem que não é assim, certo? Sabes que não vale a pena voar sozinho se não tiveres alguém com quem possas partilhar o que vês e sentes. E aí, dás a mão ao caminho que escolheste rumar e és verdadeiramente livre, sorrindo ao lado de quem sorri contigo. "Há algo melhor?", perguntas-me. Esboço um pequeno sorriso por entre um olhar meio turvado de pequenas lágrimas que querem sair e respondo "não... não há mesmo!"

Desejamos boa noite um ao outro. Tu voltas para o teu castelo no cimo do monte, eu regresso à cabana à beira-rio, vendo a água passar. Por entre o barulho do ribeiro ainda te consigo ouvir desejar que eu seja um pássaro e um dia voe também...

1 Comentários:

Blogger PePtiDaSe disse...

Muito bonito, muito bem escrito... tal como cada vez que demonstras o que sentes seja por quem for...:) Achei interessante esta parte: "não te atiras de cabeça no primeiro precipício que encontras, saltando para uma falsa sensação de liberdade onde fazemos o que queremos e nada mais importa senão nós próprios."

8:02 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial